Informações do trabalho

Título
VIDA MARIA: VIOLÊNCIAS E SUBJETIVIDADE
Tipo de trabalho
Conversando sobre Práticas Profissionais
Autor Principal
ELIANA SARDI BORTOLON
Instituição
anhanguera
Financiador
Sem Financiador -
Eixo
Eixo 3 - Formação em psicologia: reflexões e ações para uma formação crítica
Área
Formação em Psicologia
Palavra-chave
violência ,feminino ,subjetividade
Resumo
Como debater a temática da violência na formação em psicologia? Como promover uma formação crítica, que compreenda as situações de violências para além da relação vítima x agressor, e sim considerando os marcadores sociais que atravessam a cena? A partir do premiado curta-metragem "Vida Maria", a temática foi trabalhada em sala de aula, em diferentes turmas, produzindo efeitos subjetivos nos/as acadêmicos/as envolvidas. Depois de trabalhar conceitos como subjetividade, relações sociais e comunitárias e violência, estudantes de psicologia foram convidadas a assistir o vídeo, e representar criativamente como compreendiam a temática. Como resultados, foram apresentados textos, imagens, expressões artísticas. A partir disso, se refletiu em sala de aula o quanto de cada um/a está na compreensão e na vivência das violências. A partir da história de Maria(s), refletiu-se sobre a constituição das subjetividades humanas, a partir das vivências de cada estudante. Para a formação em psicologia ser de fato transformadora das realidades sociais, é preciso que as profissionais também se reconheçam como sujeito dessa transformação. Enfrentar pautas complexas, como as violências, exigem uma formação pautada por uma posição ético - política atravessada pela compreensão de que as desigualdades sociais nos constituem como sociedade, e que os marcadores sociais de classe, raça e gênero atravessam a constituição das subjetividades. Essa formação só é possível de acontecer a partir de reflexões também pautadas pela complexidade das turmas, e das subjetividades de cada estudante. Formar é se colocar em questão, rompendo os limites dos preconceitos individuais e coletivos.